Para-raios: Conheça a importância desse item que não pode faltar no seu condomínio

30.jan, 2020 |
  • Dicas,
  • Notícias para Condomínios,
| Nenhum Comentário

Você sabia que o Brasil é o país mais atingido por raios no mundo? Segundo a revista Super Interessante, entre 2000 e 2014, as descargas elétricas mataram 111 pessoas por ano. Para se prevenir de acidentes com raios, é necessário que condomínios possuam o Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas (SPDA), chamados de para-raios. O síndico é o responsável por garantir a manutenção dos para-raios e o serviço deve ser executado por empresas especializadas.

 

O equipamento serve para proteção dos moradores, e a falta dele pode trazer graves problemas, tanto aos condôminos quanto ao condomínio. Choque, queima de equipamentos, danos na estrutura do prédio e até mesmo morte, são alguns dos problemas que podem ser causados.

 

O para-raio permite que a descarga elétrica possa chegar até o solo sem entrar em contato com a edificação ou as pessoas que estão dentro dela. Logo, para-raios evitam danos a estrutura e a vida dos moradores.

 

Segundo os engenheiros, os para-raios devem ser checados semestralmente por empresa especializada em de resistência de aterramento para verificar as condições gerais do sistema.

Existem outros pontos importantes que devem ser observados durante a vistoria. É interessante que o síndico, saiba o que deve ser feito na manutenção, garantindo assim que todos os pontos sejam inspecionados de acordo.


-A caixa d’água deve ser aterrada, pois é uma condutora de eletricidade. As antenas de TV por satélite, já que são fixadas nos pontos mais altos dos edifícios, também precisam estar aterradas.

-Os cabos e captores deverão passar por limpeza e troca, em caso de quebra ou oxidação.

-Hastes deverão estar bem esticadas e isoladores devem estar bem fixados à estrutura.

-Deve-se verificar se a luz piloto que fica no mastro não está queimada

Curiosidade: No Brasil, existem dois tipos de para-raios mais comuns. O para-raios Franklin e para-raios de Melsens. O Franklin é o modelo mais comum no país, sendo composto por uma haste metálica que desce até o solo conduzindo toda energia do raio através desse cabo único. Já o Melsens, ao contrário do Franklin, possui uma série de hastes condutoras, onde todo o sistema é composto por uma armadura metálica. 

Síndico, #FicaADica: Procure sempre um profissional especializado para cuidar dos para-raios! 

 

0
0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA